terça-feira, fevereiro 05, 2008

Continuação.

Matisse, Dance
Porque aceitei o convite do ART feito em Janeiro deste ano ... e porque "o prometido é devido", tentarei deixar um texto minímamente coerente, usando os títulos dos meus 10 últimos posts.
Dizia ele que este desafio era feito à minha medida.... em tempos, acredito que sim, neste momento tenho as minhas dúvidas mas... aqui vai.
O ano 2008 não começou neste "canto" da melhor forma, pelo menos assim o creio.
Já antes fui, nas minhas poucas divagações com direito a serem colocadas por escrito nesta comunidade, deixando passar o tempo, reduzindo a escrita a desejos de Bom Natal e algum dissimulado desabafo que intitulei de "Remédio Santo".
Algumas foram as vezes que auto proferi interpretações dignas desse nome e que tanto gosto de fazer, sobre este ou aquele acontecimento/tema, sem contudo passar à acção. Mas, deambulando perdidamente pelos meandros da vida que nos passa qual vento soprando, acabei fazendo a descoberta de que nem sempre somos esquecidos.
Tendo estado bastante tempo sem tão pouco abrir esta página, fui forçada a usar para mim mesma um dos títulos que usei.
"Mas que sei eu"... !!!
Ao escrever sobre o filme "Dead Poets Society" e, tendo na altura, consciência da mensagem que queria passar, estava neste momento a negar precisamente aquilo em que naquele momento acreditei: A Essência Humana!
Foi essa mesma, bem espelhada que encontrei em todos os que continuaram a visitar-me, deixando as suas palavras e/ou o seu silêncio.
Em suma: Afinal, não estamos sós!!
Obrigado a todos!

17 comentários:

Maria P. disse...

Claro que não estamos sós!
Eu ainda acredito nessa "Essência Humana",porque tenho a certeza ainda existem muitas pessoas assim: como tu!

Beijinho(S)(S)mais do que nunca!

Å®t Øf £övë disse...

Alexandra,
Gostei muito do texto que escreveste com toda a coerência, e clarividência que de ti esperava. Tens nele contida muitas verdades, e algumas ideias "escondidas" nas entrelinhas. Há momentos em que é preciso resguardarmo-nos, e ficarmos "fechados" em nós mesmos.
Beijinhos.

MªJosé M. disse...

Olá Alexandra,
Gostei mesmo de ler este teu texto.
Conseguiste o objectivo a que vinhas, superando o desafio que te havia sido proposto. E muito bem!

Por outro lado, de conteúdo rico e muito bem estruturado, revelando a tua sensibilidade e também muita lucidez e verdades tuas.
Das entrelinhas que se adivinham, ficam lá mesmo, nesse cantinho mais intimista.

Continuando....

Bom, ler -te :)

Um Beijo,

MªJose

poeta_silente disse...

Ale!
Nunca duvides de tuas possibilidades e qualidades... por mais que isto venha à mente. Pois se por acaso esta dúvida passeia por teus pensamentos, não foi colocado por Deus. Pois, mais do que tudo, tens o dom da escrita verdadeira e simples.
Lindo texto fizeste com palavras pre-definidas. Conseguiste uní-las com teu coração.
Deus te abençoe
Miriam

Å®t Øf £övë disse...

Alexandra,
Passo para te deixar um beijinho.

carteiro disse...

Sim, é isso mesmo! Nunca estamos sós.
Gostei muito da união destas tuas palavras e do novo sentido que lhes deste... Afinal as cores existem todas, é preciso é saber como mostrá-las.
Um beijinho.

david santos disse...

Olá, Alexandra.
Uma boa recolha: reuniste tudo e deste-lhe um bom sentido.
Parabéns.

Mocho Falante disse...

Ora aqui está um desafio bem original que originou um belo texto

beijcoas

Pepe Luigi disse...

Precioso sentido do texto, descrito com inigualável lucidez.
Parabéns.

Anónimo disse...

Comecei no princípio de seu blog e acabo aqui. Você ainda fuma? lol
Luisinho

Anónimo disse...

Olá Alexandra,
Eu acho que nunca estamos sós, temos pelo menos a solidão ao nosso lado, será?
Carpe Diem!
Beijo
Isabel Albuquerque

Anónimo disse...

...e não é que ela ainda me surpreende?

Mano

alexia disse...

Ora aqui esta a forma indicada de resolver este quebra-cabeças que também a mim se me deparou! Escusado será dizer que fiquei cansada só com a ideia e que aparvalhei para evitar o raciocínio:).
Não estamos de todo sós…pelo menos na forma de sentir!

Beijo

Roderick disse...

Olá amiga. Andas muito desaparecida... também.
Como eu.
Beijos

Paulo disse...

Bem, parece que andamos todos cansados da blogosfera, da vida e do mundo! Mas não, afinal há sempre esperança, qualquer coisa para descobrir, algo mais para partilhar. Gostei de passar por aqui. Um beijinho deste teu amigo internauta :))

Maria P. disse...

Beijinho(S)...

Bruxinhachellot disse...

Não. Não estamos sós, mas nos sentimos sós quando ninguém nos entende.

Beijos de nova.