sexta-feira, novembro 10, 2006

Sobre a pintura de um ramo florido "Primavera Precoce", de Wang

Vincent Van Gogh
Quem disse que a pintura deve parecer-se com a realidade?
Quem o disse vê com olhos de não entendimento
Quem disse que o poema deve ter um tema?
Quem o disse perde a poesia do poema
Pintura e poesia têm o mesmo fim:
Frescura límpida, arte para além da arte
Os pardais de Bain Lun piam no papel
As flores de Zhao Chang palpitam
Porém o que são ao lado destes rolos
Pensamentos-linhas, manchas-espíritos?
Quem teria pensado que um pontinho vermelho
Provocaria o desabrochar da primavera?
Su Dong Po
Resolvi deixar para este fim de semana, um poema que considero magnífico, oferecido pelo Amigo RPM http://pontosde-vista.blogspot.com/
BOM FIM DE SEMANA

25 comentários:

Carlos Henriques disse...

Olá Alexandra
Passei e gostei...
Desejo-te também um bom fim de semana.

**beijos**

xano disse...

Olá!!
Ando meio sem tempo, é um facto, e não ando a prestar a devida atenção á tua Magia.
De qualquer maneira, fica aqui também o meu desejo de bom fim de semana. Por cá irá estar Sol, espero que por aí também!!

Muito sol para ti!

Bjs

Anónimo disse...

bom fim de semana tb pra ti my dear friend.
a primavera precoce lembrou-me outra coisa precoce...mas não posso falar aqui...
´
beijs

DIAFRAGMA disse...

Espectacular.

RB disse...

Belo poema sem dúvida.
Bom fim-de-semana
Beijinhos
RB

Maria P. disse...

Fantástico!


Bom fim de semana:)

isabelnurse disse...

Olá Alexandra,
Linda a pintura.
Linda a poesia.
Duas escolhas magnifícas de duas lindas pessoas.
Beijos
Bom fim de semana

pensamentos_vagabundos disse...

concordo contigo,pois o poema é lindo,já a pintura é deslumbrante...
beijo vagabundo

Pluma(princesavirtual) disse...

Sem duvida um poema muito bonito :)

beijos

:)

Daniel Aladiah disse...

Querida Alexandra
A arte e a literatura não são necessariamente figurativas, é certo...
Um beijo
Daniel

poeta_silente disse...

Alexandra!
Belo poema! Belo ensinamento a todos nós. A arte é e será, sempre, a manifestação sublime da essência humana. Uma essência que deslumbra pelo seu potencial de beleza.
Beijinhos
Miriam

A.J.Faria disse...

Olá,Alexandra!
Bonito poema, onde temos sempre algo a aprender, onde a carga da realidade sujectiva leva-nos um pouco mais além.

Bjs

RPM disse...

Alexandra.....

não é possível!

eu também fiz o mesmo, agora com um poema que me mandaste...

que engraçada a oportunidade. Lembrámo-nos do mesmo.....

beijo de amizade

RPM

Cadinho RoCo disse...

Os sentidos da percepção vão além daquilo que está ao alcance dos sentidos físicos.
Cadinho RoCo
www.balaiodeminas.com.br

Bruxinhachellot disse...

O quadro é magnífico. A Primavera é um encanto seja retratada na tela ou no espaço real. Na arte não pode haver restrinções, pois é livre e representa nossos sentimentos, nossa visão de mundo. Tanto para o poeta quanto para o pintor a censura é uma blasfêmia contra a criatividade de ambos.

Beijos de amendoim.

antonior disse...

Boa tarde!
Ao contrário do que sempre fiz, este não é um comentário personalizado.
Resulta da necessidade de informar o facto de passar a moderar os comentários no meu blog e de sugerir a tua visita, para perceberes as razões porque isso sucede.
A visita pode revestir-se de carácter utilitário, porque para além, de revelar o “modus operandi” de alguns “mirones” que andam na blogosfera, também identifica algumas identidades associadas a esses comportamentos.

É indispensável a observação dos comentários no post “pedra” do passado dia 1 deste mês.

Deixo a minha amizade e carinho nos moldes em que costumo expressar, para o teu caso concreto ( ou seja, em português corrente, da língua profunda, beijos, para quem é de beijos, abraços para quem é de abraços! )

Até breve, e defende-te de “tretas” destas.

dreams disse...

comentar arte é sempre difícil, sja ela em forma de palavras ou de imagens, porque a cada um de nós dizem coisas diferentes...

gostei muito do poema, e a pintura tem um não sei quê, que me encanta...

um beijo doce *
“·.¸Dreams¸.·”

cuotidiano disse...

Essa "parecença com a realidade" é sublimemente destruída por Margritte ao pintar o seu célebre cachimbo por baixo da frase "isto não é um cachimbo".

Já agora, uma vantagem adicional da Arte sobre a reslidade - neste caso concreto (do cachimbo) não provoca o cancro...

Beijo

Isa&Luis disse...

Olá Alexandra,

Belissima poema palavras profundas, uma tela perfeita.

Amei!

Uma excelente semana com muitas alegrias.

Beijinhos

Isa

Isabel José António disse...

Olá Alexandra,

Quem disse que só há uma forma de expressarmos o que nos vai na alma?

Quem disse que o poeta (o escultor, o compositor, o criador, etc) tem que ter só um padrão de expressar o que vê e sente?

O tal "Inconsciente Colectivo", está ao dispôr de quem lá possa "ir". É uma questão de afinação do diapasão da vibração.

Depende, em última análise, do estado evolutivo de cada um.

Eleva-te! Eleva-te ao infinito!
Aquieta a mente e o coração!
Sempre que estejas assim aflito
Pára um pouco e escuta a imensidão!

Abre-te à vida mais profunda
Sintoniza todo o teu SER
Deixa a essência que te inunda
Te guie,além do que podes ver

Esse lado é tão belo tão real
Como todos os outros que vês
Física Quântica ou Deus afinal
Que existe mesmo se tu não crês.


Um abraço e parabéns.

José António

redonda disse...

Gostei muito do poema e agora vou tentar descobrir alguma coisa sobre este Su Dong Po que não conhecia (engraçado o nome dele também parece ter alguma poesia)
Um beijinho

AnaGarrett disse...

Olá Alexandra. O que é feito. Tens andado desaparecida!
Beijos

salexia disse...

Tenho imensa dificuldade em comentar aqui.
Sempre que me sento a visitar alguns blogs passo por aqui e leio. Decido sempre que não dá para comentar só por comentar e acabo sempre por adiar por uma vergonhosa inércia mental que me persegue cada vez com maior frequancia.
Hoje pensei que mesmo não comentando o que lia( continuo vazia de sensibilidade)pelo menos explicava o porquê da minha ausência:).
Olha...sei que isto é retorcido mas este é o blog do qual mais...fujo:)

Bia disse...

Lindo poema... e para quem tem a certeza de tudo, num instante percebe que tudo é relativo...
beijinho e bom fim de semana

Menina do Mar disse...

Lindo este quadro de Van Gogh!