domingo, março 11, 2007

Um espelho de água.

Cabo de São Vicente, Sagres, Algarve

Sonhar como quem sonha sempre navegar

...

Ao longe, a barca louca perde o norte,

...

Um espelho de água,

A vida a navegar por entre

o sonho e a mágoa

...

Excertos de "O Mar e Tu", Andrea Bocelli & Dulce Pontes

***

Sonhei que sobrevoava águas com estas cores.
Disseram-me que eram o meu EU interior.

Tão belo este mar, pela sua profundidade e imponência!
Foram tantas as vezes que o vi, tantas as vezes que o ouvi, tantas as vezes que o senti … acompanhada pelos ventos fustigantes!

A onda que bate estrondosamente nas escarpas deixando subir a sua espuma salgada … o som grave do impacto, a entrada desta massa aquosa pelas cavidades rochosas, provocando uma força tal que aquilo que era água emerge quase em vapor… o azul que passa a verde e imediatamente se transforma em branco… um barco muito ao longe mesmo em dias de alguma tempestade…

Que não ouvi e devia ter ouvido?
Que não vi e devia ter visto?
Que não senti e devia ter sentido?

Questões, quem não as tem? Respostas… talvez um dia!


22 comentários:

Túlio Hostílio disse...

a água, o azul do mar, o sonho.....muito lindo

Maria P. disse...

Que lindo este conjunto que formaste.
Respostas um dia...sim.

Beijinhos e boa semana*

Pedro Branco disse...

Quem me disse que eu era onda?
Enganei-me. Sempre corrente entre as margens...
Que na foz não há nada que se esconda
Tudo é fecundo e passagens.

Quem me disse que eu era mar?
àgua em marés loucas de ir e vir...
Que de mim apenas a palavra de esperar
Que um dia saberá como me possuir.

Não digas mais quem sou ou quem serei.
Não procures. Deixa-te à espera...
Que talvez assim respire o que em mim sei
Ser EU mesmo. Depois de tudo o que era.

MARIA VALADAS disse...

Que belo poema...
A uma certa altura deu-me a sensação de ouvir as ondas a bater nas escarpas...

Que maravilha!

Beijinhos da

Maria

Anónimo disse...

Olá Alexandra,
Lindo, parabéns.

DA TERRA
Amar o mar completa a minha vida
com o tacto de um amor imenso.
Amar areia e margem
arrebata-me de júbilo e paixão.
Mas veio o vento e, por momentos,
amargurou o meu corpo, a oscilar.
E está o sol aqui, depois de uns dias
de jardim obscurecido, a beber sombra.
E sei que os átomos zumbem
e dançam como os insectos
ébrios em redor do pólen.

(Fiama Hasse Pais Brandão)
Um beijo
Isabel Telles

João Cordeiro disse...

Obrigado pelo teu lindo comentário.
Vale a pena escrever, quando nos sabem "ler".
Beijo sonhador

Isabel José António disse...

Querida Amiga Alexandra,

Ao ler este texto (misto de prosa poética ou de poesia em prosa), mais me convenço de que todos somos parte da Grande Unidade. Somos apenas manifestações onde essa Grande Unidade se revê a si própria.

Sentir o mar, o vento, as flores
Toda a grandiosidade da Natureza
Recolher na paleta todas as cores
E sentir da Vida Una toda a sageza

Ver a imensa galáxia em espiral
Que se revê noutra espiral do ADN
Saber o mesmo material essencial
Presente em todas as coisas, perene

Se sofro,também sofres e partilhas
Se ris, vou a correr abraçar-te
Sabes, não somos como as ilhas
Mas tem-nos faltado ciência e arte

Muitos parabéns por tão inspirado e inspirador post.

Um abraço

José António

bom dia isabel disse...

O mar...uma paixão...dor também...vida... doce...florida...ou dorida.
Dá de tudo. De tudo leva.
Fascina-me. Manso ou rebelde.
Beijinhos

Diafragma disse...

Uma possível resposta...

“Words irritate. Gestures mislead. Emotions dissolve. Only sounds speak a language that might be understood. If one opens the heart, would there be someone receptive enough? But who is listening? Who is able to feel it? Often I do ask myself, where does a heartbeat identical to mine exist? And the attempt of an answer is out there, on the other end of my own sound”

(Gidon Kremer http://www.kremerata-baltica.com/biokremer.htm)

poeta_silente disse...

Alexandra!
Dá-me muita vontade de aqui comentar. ..
Peço-te desculpas por isto, mas tinha que falar sobre o belo post que fizeste.
O mar... e suas características. Tão bem colocado em palavras, que vieram do fundo da tua alma e souberam, como uma imagem única, nos remeter ao bucólico local.
Parabéns pela escrita. Parabéns por sentir-te azul e branco... por sentir-te uma água de mar. Porque estas são as águas que Deus quer que sejamos na vida. Que façamos a diferença...
Beijos
Deus te abençoe.
E, mais uma vez, desculpa-me.
Miriam

Paulo: Osrevni disse...

Que lindo poema, água, onda, sensações...

Tó Luís disse...

Olá Alex…
É óptimo ver-te a passear pelas pinturas, o tempo passa pelo mundo (GALERIA) e existe pessoas que tenho algumas saudades em falar, tu és uma pessoa que interiorizas as pinturas, as imagens dão-te uma perspectiva que tu divulgas a tua opinião e aí nesse momento tenho a certeza que quando o fazes, estás dentro da pintura, a imagem dá-te um tempo e um espaço de vida em pensamento…Thanks Alex…
(Fiquei curioso com a pintura que gostaste em especial e porquê?...)...

Um espelho de Agua.
Por vezes as respostas só vêm com a coragem, agora consegui-la é complicadíssimo mas não é impossível, o que sentiste é lindo e não é para todos, o mar, o ar e o som pode ser útil ao nosso coração mas não vai apressar a dar respostas se a vontade em ouvi-las não for muito...agora questões quem não as tem...

Bjs Amiga

Movimento em Defesa do Rio Tinto disse...

Bela, a música, bonita a imagem, agradável o espaço.

Limpámos um bocadinho de um rio, para darmos o exemplo.
Temos lá a reportagem.

TINTA PERMANENTE disse...

O mar tem esse sortilégio de nos deixar sempre aquém dos seus horizontes...
Abraço!

mj disse...

Olá Alexandra,

Perguntas... quem as não tem?
Sentir?
O que sentimos nós mesmos!
Gostei muito deste teu espelho de água.
Das tuas palavras.
São sensações diferentes para cada um...
Esse lugar, é realmente imenso, imponente, belo.
Também pode tansmitir algum receio; parece que ficamos pequenitos, ca em cima!!!

Beijinhos e um sorriso

mº jose

redonda disse...

Que eu me lembre só estive uma vez ai. Frio e vento, mas estava com alguém que depois perdi.
Nesse quadro as perguntas colocadas ganham outro sentido:
Que não ouvi e devia ter ouvido?
Que não vi e devia ter visto?
Que não senti e devia ter sentido?

Bruxinhachellot disse...

Esse mar, essas rochas, tudo é a imagem do paraíso.

Beijos de vida.

Isa&Luis disse...

Talvez esse dia já tenha chegado com algumas respostas...
Um beijo
Luis

MARIA VALADAS disse...

" Quem não ouvi e devia ter ouvido?"...

Fizeste com que regressasse no tempo...mais uma vez!!

Bom fim de semana.

Beijinhos da

Maria

Menina do Mar disse...

A paisagem do Cabo de S.Vicente é fantástica!
"Questões, quem não as tem? Respostas ...talvez um dia!"
Bom domingo!
Bjs.

Cadinho RoCo disse...

O INTERESSANTE É QUE SEMPRE HÁ UM BARCO DISTANTE.
CADINHO ROcO

Daniel Aladiah disse...

Querida Alexandra
As respostas estão por aí... muitas vezes não nos apercebemos delas, mesmo quando estão dentro de nós.
Um beijo
Daniel