domingo, maio 25, 2008

ERA UMA VEZ


Uma menina que na sua inocência, pegava num molhinho de flores silvestres, enquanto olhava ao longe o mar…
A fotografia mostra-a de costas, com os cabelos atados com uma fitinha vermelha, as flores, essas são de pétalas brancas. O vento fustiga-lhe o rosto… nota-se pelo movimento captado no cabelo e na roupa… o que estará ela a pensar?!
Algo de importante? Ou, como todas as crianças daquela idade, somente naquele instante, o aqui e agora? Ou, como será o seu dia de escola no dia seguinte?
Ainda pode sonhar... ainda lhe é permitido sonhar com o mundo encantado! Tem uma vida toda à sua espera...
Hoje, à mulher que foi menina e que se olha de costas através de uma película fotográfica, coloca-se a questão:
São tantas as escolhas que nos são dadas… tantos os caminhos que podemos optar…tantos os erros que podemos cometer e que não têm retrocesso...
Afinal, somos nós que fazemos a vida ou, é a vida que nos faz a nós???
A resposta continua por encontrar...

7 comentários:

Teresa Durães disse...

somos nós que fazemos a vida e também a vida faz-nos :)

Maria P. disse...

Ainda não sei...

Beijinho(S)*

P.S Se puderes ouve a música na Casa:)foi oferta em tempo ido(S).

Isabel José António disse...

Querida Amiga Alexandra,

Somos nós que fazemos a nossa realidade. Através de processos quânticos, nós, pela manifestação da nossa intenção, podemos ir moldando a vida que queremos.

O que a vida nos coloca são questões e situações que devemos enfrentar e resolver para exercitar as nossas escolhas e intenções.

Nós somos a realidade e a realidade somos nós. Logo criamo-nos (a nós e à realidade)mutuamente.

Um grande abraço

José António

Enfim... disse...

acho que é a vida que nos faz a nos sem duvida porque deixamos sim

bjs

carteiro disse...

como sonhador tenho de discordar que a criança "Ainda pode sonhar". afinal quem não pode? como em tantas outras coisas, quando não se sabe, deve aprender-se. e nunca é tarde demais para aprender.
a pergunta final tem uma certa ligação com aquela que deixei lá nos "selos" há uns dias. eu cá acho que ambas as opções têm de estar correctas... sem necessidade de uma sbressair em relação à outra. afinal somos feitos de vida para garantir a sua própria continuidade...
um grande beijinho.

Só Eu disse...

Alexandra
A vida faz-se a si mesma e, sendo assim, a forma como a olhamos é que pode despertar mais ou menos duvidas.
Eu também já fiz um mar e as ondas continuam a enrolar independentemente desse mar...

Anónimo disse...

bobagem de garota.