sábado, maio 30, 2009

Eternidade


A vida, mais não é que uma peça de teatro, em que simultaneamente somos público e actores.


A única certeza, é a ausência da eternidade…




Fotografia de Lauro Santos

9 comentários:

anareis disse...

Estou fazendo uma campanha de doações para meu projeto da minibiblioteca e outras atividades para crianças e adolescentes na minha comunidade carente aqui no Rio de janeiro,preciso da ajuda de todas as pessoas de bom coração,pode doar de 5,00 a 20,00 no Banco do Brasil agencia 3082-1 conta 9.799-3 Que DEUS abençõe todos nos.Meu e-mail asilvareis10@gmail.com

PAS[Ç]SOS disse...

Pudéssemos nós, enquanto actores, saltar, sempre que quiséssemos, para a plateia e observar o que se passa em palco, tecer considerações sobre o que ali se desenrola, ter a liberdade de alterar a encenação prevista…

Conseguíssemos nós, enquanto público, subir ao palco para viver o fascínio de nos sentirmos iluminados pelas luzes, de representarmos um papel que não é a nossa vida e, no final de tudo, como a cereja no topo do bolo, ainda sermos aplaudidos por isso…

Talvez a vida se revelasse um sonho… talvez percebêssemos que precisamos de sonhar para viver… mesmo que um dia o pano caia… e os aplausos já se não ouçam.

Porcelain Doll disse...

Uma peça de teatro em que vestimos a personagem da nossa identidade... uma personagem através da qual caminhamos, sem nunca a chegarmos a conhecer devidamente... Nenhuma peça de teatro dura eternamente... mas uma personagem, uma vez criada, jamais morrerá...

Beijinhos!

Maria P. disse...

Não sei qual dos papéis gosto mais...

Beijinho(S)

Roderick disse...

A vida é um Teatro Sagrado Ad Eternum!!!!

Ainda não foi desta que te vi, malandra!!!!!!

tempusinfinitae disse...

Eu já passei para a platéia. Em dias bons um camarote.

Mas aplaudo de pé quem tem a esta consciência. Bravo!

Å®t Øf £övë disse...

Alexandra,
Realmente esta frase é completamente verdadeira. A única cois que podemos lamentar, é muitas vezes os actores que a representam não serem tão bons quanto gostariamos.
Bom fds.
Beijinhos.

Mocho Falante disse...

Ora viva

é verdade, quando agimos somos os actores que comandam o guião, quando nos deixamos levar passivamente aí somos meros espectadores

beijocas

jardinsdeLaura disse...

E ainda bem que assim é! A ideia de viver eternamente não me agrada!
Aliás é esse "lado" efémero de todas as coisas que dá à Vida um gosto tão precioso e único!