segunda-feira, maio 04, 2009

Passagem



Tenho que dormir!
Não é a ausência do sono a causa do medo. É o período que permeia a passagem do estado de vigília para o sono. É o pequeno mas intenso espaço de tempo permeável à emergência do pensamento que corre veloz … sem que nada possa ser feito para parar.
Resta esperar a queda num conteúdo onírico que já se prevê perturbador, e acordar para um novo dia, invariavelmente igual aos outros.
Pintura de Vincent Van Gogh

12 comentários:

jardinsdeLaura disse...

Alexandra,
O que mais me aflige quando tenho insónias é saber que pode afectar o meu trabalho no dia seguinte!!!
Felizmente que é raro!
Já experimentou deitar-se a ouvir uma musiquinha suave e beber um chã "calmante"! Sim porque ler um livro sei que é solução já adoptada!
Se nada resultar aproveite e escreva... como aliás o fez, mal não lhe faz e quem sabe talvez a canse o suficiente para depois dormir bem!
Enfim espero que o dia de hoje não seja por isso muito penoso!
Até mais logo e um abraço de Laura

Maria P. disse...

Sei como são esses tempos...
Que fazer?!...

Beijinho(S)

tempusinfinitae disse...

Nesse pequeno fragmento assistimo-nos.

Por vezes perdidos. Doutras ancorados, terrivelmente ancorados.

Belissima passagem. Belissima.

Mocho Falante disse...

Ora viva

de facto a passagem do mundo da consciência para os braços de Morfeu é um processo único, quase mágico é uma espécie de vertigem para o relaxamento, por isso é importante que esse processo aconteça naturalmente e por isso desejo que essa insóna vá tão depressa como se instalou

beijocas

adivinha disse...

Alexandra, venho deixar-lhe um beijo.
Não me esqueci de si. Aliás tenho-me lembrado muito de si.

Obrigado, muito obrigado.

Pluma(PrincesaVirtual) disse...

Essa passagem...pode ser de facto assustadora... mas acordar para 1 novo dia mesmo que seja igual aos outros e mesmo que não seja aquele dia que queremos é sem duvida algo de bom... :)

Beijos alexanda e desejo que essa «passagem» seja menos perturbadora e se torne doce :)

Porcelain Doll disse...

O pior pesadelo, para mim, é esse mesmo... os dias todos iguais...

Beijinhos!

adivinha disse...

Voltei para ler o seu texto com atenção (ontem não consegui)e fico preocupado.

Mas sei que aqui é um sitio de magia e a Alexandra tem essa varinha que transforma em palavras aquilo que se sente e é dificil de explicar. Esses instantes que antecedem a partida para o sono também me assustam principalmente pela quantidade de objectos que vagueiam no espirito. São avassaladores. E depois parece que tudo se queda.

Como a posso ajudar?
Não tenho a capacidade da Alexandra para dissecar as emoções, mas sinto-as. E claro que lhe quero bem.

Bj.

PAS[Ç]SOS disse...

Fronteira em forma de vale cuja transposição se torna ansiosa. No leito do rio correm tormentas que desejamos esquecer mas que se avolumam. Restam os voos de pássaros desejados que fazemos pousar em nós e com carícias nos embalam nas curtas horas que restam até que o novo dia acorde e nos obriguemos a olhar por outra janela.

Maria P. disse...

Que seja um bom-fim-semana...

Beijinho(S)

Maria P. disse...

Também os meus olhos foram mar, ao reler as tuas palavras.

Beijinho(S) Muito(S)

e um (S)orriso...

isabel disse...

Olá Alexandra,
A insónia não é uma doença, mas um sintoma. Pode ser consequência de diversas perturbações emocionais ou físicas... Frequentemente,a insónia manifesta-se no decurso de alterações emocionais, como a ansiedade, ou depressão. No quarto deves ter um ambiente calmo, relaxado, pouco ruído, pouca luz.
Dito isto, minha amiga, não conheço truques para acalmar o pensamento que busca um pouco de paz.
Um beijo
isabel