terça-feira, agosto 29, 2006

Tempos ...

Farol da Ponta da Piedade, Lagos
Fotografias, mais não são do que o registo de uma fracção de segundo que, pode perdurar no tempo com conotação positiva ou, negativa.
Ou ainda, transformar-se em segundos perdidos no tempo!
NUNCA MAIS

Nunca mais te darei o tempo puro

Que em dias demorados teci

Pois o tempo já não regressa a ti

E assim eu não regresso e não procuro

O Deus que sem esperança perdi.

Sophia de Mello Breyner


23 comentários:

Pluma(princesavirtual) disse...

Perfeito este post :) voltei das minhas fabulásticas férias ;) caso estejas de férias aproveito para te desejar que estejam a ser do melhor.

Beijosss :)

isabelnurse disse...

Olá minha querida Alexandra,
Como eu me identifico com estas palavras.
Penso em como eu era, há 15 anos e na pessoa que hoje sou, eu própria não me reconheço.

" Só sei que tinha o poder duma criança
entre as coisas e mim havia vizinhança
e tudo era possível era só querer."
Ruy Belo

Eu e o Pedro estamos bem, dito de outra maneira, tenho de convencer o nosso amigo cirurgião a transplantar-me este coração amargurado.
Beijinhos
Isabel

redonda disse...

Recordar pode ser reviver um bocadinho e quero acreditar que não perco o que não esqueço.

Um beijinho

sonhador disse...

simplesmente fabulástico.

Daniel Aladiah disse...

Querida Alexandra
A poesia da Sophia espelhando os teus sentires...
Um beijo
Daniel

Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba disse...

"FOTOGRAFAR É COLOCAR NA MESMA LINHA DE MIRA, A CABEÇA, O OLHO E O CORAÇÃO". Henri Cartier-Bresson

Beijinhos!!!
Cris

sonhador disse...

Vê o meu post de hoje e vais ter uma pequena surpresa.

Fanática dos Queen como eu.

Bjos.

Luiz Carlos Reis disse...

Olá Alexandra, tuas palavras faz refletir sobre a esperança esta que traça e alimenta nossas perspectivas e definem num ensaio mágico e fotográfico os sentimentos. Sim, pois o momento é um tempo entre a realidade e a fantasia, e deve ser registrado. Outro dia quando escrevia deparei-me com uma "joaninha" sobre meu teclado...tão raro! Fotografei!Não poderia perder aquele momento...simplório porém sublime!
Abraços!

Papoila disse...

Alexandra: Lindíssimo artigo! Acredito que eu nunca perco o que guardo em mim... Foto fantástica. Beijos

J.C. disse...

Olá Alexandra
Férias acabadas e de novo nesta blogosfera e como não podia deixar de ser 2ª feira o trabalho começa.

**beijos**

the postman disse...

Mas... Alexandra, um registo é uma coisa que nao se perde, por mais profundas que essas memórias estejam em nós.

MoonLight disse...

Fotografias... são como tudo na vida!
Prefiro sentir que valeu a pena os segundos que demorei a clicar, e os outros one a pude contemplar...
Bjs de Luz

Maria P. disse...

São belos os Tempos por aqui...


beijnho:)

Roderick disse...

Bons olhos vejam as tuas palavras, Alexandra.

Já há uns dias que andavas ausente.

Sabes.
Às vezes venho ao teu blog só para uma coisa.
Ouvir a música que lá colocaste.
Adoro-a.
E não a conhecia.
E fiquei extremamente admirado quando me apercebi que era Freddy Mercury.
É que não tem nada a ver com a discografia dos Queen.

Ainda antes do jantar o fiz.
Liguei, fechei os olhos e fiquei a ouvir a música.
Se bem que me traz sensações estranhas.
Tristeza, melancolia...
Talvez seja porque a ouvi pela primeira vez quando li o teu post sobre o hospício.
Talvez porque ande mais sensivel e dá-me para isso.

Bem. Deixa para lá.

Beijinhos e fico contente com o teu regresso, se bem que a ausência foi curta.


Kisses

cuotidiano disse...

A última vez que me tentaram tirar uma fotografia a máquina, num assomo de bom gosto, recusou-se e, consequentemente, "auto-encravou-se".

Uns tempos depois, tentei novamente com uma "polaroid", versão não-sexual de uma "rapidinha" que, mal me viu, vomitou, não dando tempo ao "fotógrafo" de, sequer, tentar carregar no botão.

Desisti e passei para o anonimato dos "blogs" concluíndo, também, que não se consegue parar o tempo -o que vim a confirmar com o meu primeiro cabelo branco.

Também concluí o óbvio, ou seja, que o que fica não são as imagens nem o tempo propriamente dito (esse limita-se a passar) mas sim os momentos (que, felizmente, limitam-se a ficar)

Um beijo

soniaA disse...

Belíssimo poema de Sophia.
Beijinho de bom dia Alexandra.

Å®t_Øf_£övë disse...

Alexandra,
Esta paixão objectiva, este corpo de vidro e metal, leva-me para lá do possível. Faz-me sonhar os momentos que não se repetem.
Esta forma azulada que tem o mundo, e o delírio que provoca nos meus olhos, só encontra algum sossego na imagem, e na revelação de alguns segredos, que nada deixam para o esquecimento.
Não penses que são unicamente clicks, porque existe sempre um suspiro a acompanhar, e uma vontade imensa de ir mais além. As fotos são o espelho quase perfeito de como tudo fica gravado em mim.
Bjs.

Isa&Luis disse...

Olá Alexandra,


Boa escolha! Uma das minhas preferidas poetisas.

A foto está linda!

Muitos beijinhos para ti

Isa

Cadinho RoCo disse...

Na luz do farol o facho referência da esperança.
Cadinho RoCo
www.balaiodeminas.com.br

RPM disse...

olá minha amiga!

cheguei à ilha terceira e com mais velocidade na rede...

um beijo de amizade

RPM

su disse...

Tenho estado a observar as fotos que colocaste por aqui...é sempre bom observá-las. Adoro fotografia...até estava a pensar em lançar um tópico na Teia sobre as fotos das férias...
As imagens às x falam mais do que as palavras...revisitam-se como elas...e por vezes são de efeito ainda mais rápido.

Um beijo da Teia recém chegada!

de Matos disse...

Muito bem escrito essa visao de fotografia, os meus parabens. E o poema minha amiga, genial.

bjs e bom fim de semana

Pedro Melo disse...

Olá! Foi muito bom vir de ferias e encontrar tantos posts e assim tao maravilhosos!

O tempo tem meandros muito complexos... o que fazer com ele? O que ele faz de nós?

Dá que pensar não dá?