terça-feira, setembro 05, 2006

Barqueiro

Van Gogh, Boats

Na noite avançada percorro imagens já envelhecidas, palavras ouvidas, discursos inacabados, realidades rejeitadas...

BARQUEIRO

Como barqueiro enlouquecido nos mares gelados,

Despedaço gelo com débeis ramos de madeira,

O frio invade-me. O sol é miragem passageira,

Violentamente, sigo por quadrados já quebrados.

Rasgo mares jamais por alguém antes rasgados,

Fios de água gelaram na minha face sobranceira.

A minha pequena barca é frágil, mas vai ligeira,

Leva-me para mares que já julgava sepultados.

Respiro fundo. Há pouco oxigénio pairando no ar.

Esta minha raiva feroz obriga-me a não parar,

Esqueço as tuas tempestades, os meus cansaços.

Perdido, avanço. Não sei até onde vou chegar,

Mas avanço. Estou encolhido, mas vou continuar,

E já em chamas, irei erguer-me e abrir os braços.

Gonçalo Nuno Martins, Nada em 53 vezes, pp 33

24 comentários:

RPM disse...

dois textos muito bons....

um feliz dia para a minha amiga Alexandra, com os primeiros pingos de chuva a fazerem a sua aparição

beijo de amizade

RPM

xano disse...

Quando estamos prestes a virar mais uma página do nosso diário, surgem pensamentos em catadupa que nos resgatam do descanso merecido e nos fazem vaguear noite dentro…

Belo texto Alexandra... belo texto...

arte JS disse...

muito bom mesmo!

isabelnurse disse...

Olá minha amiga,
lindo, como sempre, a minha pequena barcaça, vai ligeira, mas tão pouco segura...não encontro um porto seguro para ancorar.
Beijos
Isabel

isabelnurse disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Tó Luis disse...

Olá Alex...
É um prazer retribuír no teu rico espaço...
Os meus próximos trabalhos a apresentar na Galeria vão ser uma surpresa para ti...apenas dizer-te que são áreas de pintura diferente em relação ao que eu tenho feito , vão do impressionismo ao surrealismo...surpresa...depois vês.
Os Selos que lá estão na Galeria não são assim tão importantes , a tua participação na Galeria aí sim...és importante.

Por aqui dizer-te que o Freddy Mercury hoje fazia 60 anos se fosse vivo , falo-te dele porque conheço a tua opinião sobre aquele sêr...
Li o que escreveste no BARQUEIRO e relembro esta tua frase:
ESTA MINHA RAIVA FEROZ OBRIGA-ME A NÃO PARAR...adorei porque por muito que sejam as dificuldades na vida ao levantarmos um dedo é um sinal...positivo...
Força Alex , Força Freddy Mercury
Beijinhos

Luiz Carlos Reis disse...

Alexandra, quando aporto aqui não almejo mais zarpar...Porto seguro de reflexões.
Abraços no coração minha querida!

antonior disse...

Avançar/navegar é preciso...mesmo em chamas!

Van Gogh fê-lo mergulhando na côr e no sonho. Nós precisamos receber esse banho de côr e continuar em direcção ao Sol...

Beijinhos

Tó Luis disse...

Oi Alex...
A Galeria está sempre aberta , quando te lembrares minha amiga pôe o pé lá dentro... fico muito satisfeito por te sentires tão bem lá , esse mesmo sentimento acompanha-me aqui e muito mais ainda por te ter conhecido pessoalmente e ter percebido que a fim ao cabo partilhamos algumas coisas que gostamos muito...
Beijinho

o alquimista disse...

Dis textos e uma tela impressionista...fazem um bouquet lindo para o começo do dia...

Doce beijo

su disse...

Mas a noite também pode ser um manto acolhedor e descanso das mágoas do dia que brilha com a intensidade e crueza de mil lanças...
Seja como for, fazem parte de duas realidades que gerem a vida, o Tempo...
Belo texto

xxx

Aparece na Teia. Está lá um desafio literário para se conhecer mais e mais livros! Partilhar!

beijinhos pendurados aqui da Teia.

WALDE disse...

La estética de este post es muy buena, es hermosa e inspiradora.
Sigo visitando tu blog, me gusta mucho, un beso grande desde la Argentina.

the postman disse...

Van Gogh, mais uma vez :) Espectacular.
Tanto se perdem os nossos barcos no mar como, tantas vezes, o vento os leva para onde menos queremos. Esperar-nos-á, um dia, um porto.

redonda disse...

Não conhecia e gostei muito do Barqueiro. Vou ver se me lembro de procurar na Fnac pelo livro...

Um beijinho

Jo§e disse...

Já tinha saudades de por cá passar.

Um beijo grande

PAULO SANTOS disse...

adorei o post no seu todo! Inesquecivel imagem de Van num poema fabuloso e apelativo.

Um beijo para ti

isabelnurse disse...

alexandra,
recebi o seu mail, respondo no fim de semana, as águas estão agitadas,o vento sopra forte, vamos ver quando acaba a tempestade.
Beijinho,
Isabel

José S. disse...

Também tenho andado como o teu barqueiro mas acho que, mais tarde ou mais cedo, tenho de erguer os braços e continuar.
Bjos e Bfs.

Bijuteria Artesanal disse...

Estava a navegar por varios blogs e vim parar ao seu. Se quiser passe também no meu. Em relação ao post, o poema é bonito mas gostei mesmo foi da imagem da pintura de Van Gogh.
Beijocas...

A.J.Faria disse...

Olá, Alexandra!
É sempre positivo e enriquecedor navegar em aguas nunca antes navegadas...
Bom post!
Bjs

mixtu disse...

barqueiro... dono de esperanzas o pequenos nada...

muy bonito...

e claro, Van gogh...

besitos europeus

AnaGarrett disse...

Alexandra.
Já "Geminei" o meu blog com o teu.
Ambas temos a mesma música.
;-)

Beijos, amiga

Paulo disse...

Melancólico, não, depressivo, gela-me a alma, cristaliza-me as emoções, queima-me o discernimento...este "Nada em 53 vezes"...
beijos

GNM disse...

Obrigado querida Alexandra pelo destaque...