quarta-feira, outubro 18, 2006

Reflexo

Imagem retirada de: Blog Catedral2

A realidade vivênciada, pode ser por vezes tão avassaladora, dura ou simplesmente rotineira, que não nos é permitido, a maioria das vezes, parar para pensar. Porém temos mecanismos que em nosso socorro surgem e que nos fazem parar e olhar com outros olhos, para algumas circunstâncias que fazem emergir toda a sensibilidade existente em cada um de nós. A poesia, assim como a prosa, são elementos que nos propiciam a possibilidade de parar e pensar, mantendo-nos longe por instantes, daquele que é o nosso mundo. Muitas dessas palavras que nos captam a atenção, são na maioria das vezes, o nosso próprio reflexo. Assim sendo, será sempre gratificante passar os olhos por exemplos destes:

AMAR!

Eu quero amar, amar perdidamente!

Amar só por amar: Aqui... Além...

Mais este e Aquele, o Outro e toda a gente...

Amar! Amar! E não amar ninguém!

Recordar? Esquecer? Indiferente!...

Prender ou desprender? É mal? É bem?

Quem disser que se pode amar alguém

Durante a vida inteira é porque mente!

Há uma primavera em cada vida:

É preciso cantá-la assim florida,

Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar!

E se um dia hei-de ser pó, cinza e nada

Que seja a minha noite uma alvorada,

Que me saiba perder... para me encontrar...

Florbela Espanca, Sonetos, pp 137.

15 comentários:

dreams disse...

sejam então a prosa e a poesia um reflexo das nossas vidas, cheias de sentimentos e cor...

um beijo doce *
“·.¸Dreams¸.·”

redonda disse...

Muito bonito. Gostei de vir aqui fazer uma pausa e ler e pensar no que escreveste.
Um beijinho

isabelnurse disse...

Olá Alexandra,
Lindo o teu texto. Florbela é sempre maravilhosa.
O amor, tanta coisa já foi dita sobre ele, umas vezes, temos , outras sonhamos com ele, optando pela solidão.
Um dia, alguém nos diz:
-Abre os olhos e vê!
E olhamos para o lado, ali juntinho a nós, o amor verdadeiro,
lindo, apenas a esperar que o aceitemos.
É sempre surpreendente o amor!
Obrigada
Um beijo
Isabel

Mikas disse...

Um óptimo fim de semana querida.

Jo§e disse...

Bem precisavamos de parar mais tempo para termos temppo de pensar e amar.

Um beijo

Tó Luis disse...

Oi Alex...

Na GALERIA...
É bom ter-te na Galeria , seja com a tua opinião ou seja apenas para veres o que eu tenho feito , és aquela pessoa que se não fores lá...eu estranho.(Amanha vou apresentar uma pintura que fiz no meio rural , aparece por lá )

Aqui no A KIND OF MAGIC II...
Mais uma vez ofereçes palavras da Florbela Espanca , sei que tens uma adoração pela sua poesia , compreendo...sensibilidade não falta nas suas frases...
Sinto que este soneto é um pedido de socorro ou um alerta , a vida dá tantas voltas e a Florbela Espanca sabia disso...na verdade são emoções sentidas por todos nós...

Bjs... Tó Luis

Roderick disse...

Florbela Espanca. A minha Diva da Poesia.
É fantástica.
Adoro.

Querida amiga. Já lá foste?
Hummmm. Parece que não vai ser desta.
Beijos

Cadinho RoCo disse...

Gotas na folha do amor sedento.
Cadinho RoCo
www.balaiodeminas.com.br

Carlos Henriques disse...

Olá Alexandra.
Já nos comentamos em outros blogs (depressa me reconhecerás) venho dizer-te que estou de volta.
**beijos**

DE PROPOSITO disse...

Um texto em prosa. E é claro fez-me pensar e meditar no que disseste. Dir-te-ei que para tudo há uma educação, para amar, para odiar, para ser feliz ou para ser infeliz. Não é por acaso que vemos 'mendigos' que se consideram felizes. _Mas será que o serão? E estou divergindo do tema inicial; a prosa e poesia só nos fazem pensar se tivermos sido educados para isso. Esta palavra 'educados' tem muito que se diga. O ser criado por exemplo no meio da poesia ou da prosa.
Fica bem.
Beijinhos.
manuel

A.J.Faria disse...

Olá, Alexandra!
Excelente escolha!

Este é um dos poemas de Florbela Espanca que vale a pena reflectir e ver as situações da nossa vida em que temos de nos "perder" para nos encontrar!

Bjs

Daniel Aladiah disse...

Querida Alexandra
Amar é sempre "novo"... por maisd que já tenhamos amado.
Um beijo
Daniel

Bia disse...

A rotina instala-se em nossas vidas e ocupa-nos muito tempo precioso, por isso nada como regalar os olhos num belo poema como este que escolheste e ficar a pensar no amor com um sorriso estampado no rosto. Obrigada pelo momento de "Amar só por amar.." haverá melhor?
beijo

Maria P. disse...

Florbela Espanca,nem se comenta.
As tuas palavras, para meditar...

Boa semana, beijinho:)

APC disse...

... O reflexo do que somos (por identificação) e do que desejamos (por complementaridade)... Mas o reflexo! :-)

"O que a arte espelha realmente é o espectador e não a vida".
(in O Diário de Dorian Gray, Oscar Wilde).