sexta-feira, julho 24, 2009

Consciencialização


Fotografia de pigar



Aquele era o tempo
Em que as mãos se fechavam
E nas noites brilhantes as palavras voavam,
E eu via que o céu me nascia dos dedos



Em bares escondidos,

Em sonhos gigantes.
E a cidade vazia,
Da cor do asfalto,
E alguém me pedia que cantasse mais alto.



Aquele era o tempo

Em que as sombras se abriam,



E eu bebia da vida em goles pequenos,

Tropeçava no riso, abraçava venenos.
De costas voltadas não se vê o futuro
Nem o rumo da bala
Nem a falha no muro.
E alguém me gritava
Com voz de profeta
Que o caminho se faz
Entre o alvo e a seta



De que serve ter o mapa

Se o fim está traçado,
De que serve a terra à vista
Se o barco está parado,
De que serve ter a chave
Se a porta está aberta,
De que servem as palavras
Se a casa está deserta?



Quem me leva os meus fantasmas?

Quem me salva desta espada?
Quem me diz onde é a estrada?
...
Excertos da música de Pedro Abrunhosa; ‘Quem me leva os meus fantasmas’

Dia a dia… o caminho faz-se entre o alvo e a seta, entre o início e o fim, entre a alegria e o desalento…



15 comentários:

Conversa Inútil de Roderick disse...

Nunca me apercebi desta letra! Bastante boa!!!!!!!!!!!

jardinsdeLaura disse...

Bonita letra! Boa escolha! Parabéns!

sara disse...

Lindo...;)

adorei o poema!

Mocho Falante disse...

bastante bonito sim senhor e olha que não gosto nada do Pedro Abrunhosa, mas admito que este poema é muito bonito mesmo

beijocas

Bruxinhachellot disse...

Lindo esse texto. Os fantasmas só se vão quando sentirem que é a hora. As sombras ainda permanecem por algum tempo. Só a luz infinda pode dissipá-las.
Beijos doces com saudades.

Maria P. disse...

Humm...férias?!:)

Espero que esteja tudo bem.

Beijinho(S)*

Parapeito disse...

"Quem me diz onde é a estrada?"
isso só saberemos fazendo nos ao caminho..nao é?
Gosto de alguns poemas dele :)
Dias com brisas mansas*

Maria P. disse...

O dia Mundial da Fotografia tem "outro" significado pra mim, tu sabes...:)

Beijinho(S)

Bruxinhachellot disse...

Ficaria temerosa de andar por essa estrada. Linda letra. Beijos doces.

Pluma(PrincesaVirtual) disse...

caramba fiquei surpreendida...tantas vezes que ouvi esta musica e na verdade nunca a ouvi.

Beijinhossss :)

Ingrid Raíssa disse...

Que lindoo ;D
ameei *-*
seu blog é maravilhoso :)
qlqr coisa aparece no meu
ingridraissa.blogspot.com/
bjooz'

DE-PROPOSITO disse...

Em que as mãos se fechavam
----------
Um não querer perder o que se tinha. Mas mesmo de mãos fechadas, por vezes as coisas voam.
Fica bem.
E a felicidade por aí.
Manuel

Å®t Øf £övë disse...

Alexandra,
Esta música, à semelhança de quase todas do Pedro Abrunhos, tem uma mensagem muito forte.
Espero que esteja tudo bem contigo, e que o caminho que percorres entre o alvo e a seta esteja maioritariamente preenchido de momentos de alegria.
Beijinhos.

Maria P. disse...

Beijinho(S) de quem anda muito ausente, mas não esquece os amigo(S).

Maria P. disse...

Venho deixar um beijinho(S).