terça-feira, junho 12, 2007

Comunicação


“Porque as mudanças são como Estações de Comboio, têm tanto de partida como de chegada, e isso mexe profundamente connosco.”

“Ponha as palavras em poema, porque elas já têm magia...”

“ (…) ja ouvi falar muito nesse tipo de aproximações na net e confesso que não sei explica-las. Elas existem. As pessoas dizem que sim. Mas serao reais ou apenas a projecçao dos seus desejos?”

“(…) gostaria de lhe deixar uma palavra especial de alento e Amizade: os verdadeiros sentimentos, cheios de força e pureza (…)”

“Não há amigos virtuais. Por trás das palavras, que lemos na net, há sempre um ser humano real que se desvenda na forma como escreve.”

“Sabemos ambas que não há palavras que minimizem a dor por que passámos mas saber que há quem se solidarize connosco dá-nos algum conforto e parece que , por momentos, a dor suaviza.”
“ (…) lá, pensarei, ainda e também, em ti, em olhos e sons.”

“ (…) e a vida sem a emoção é um vazio!”

“ Sublime, comovente.”

“ (…) novos selos decidem voltar aqui, em viagem, e deixar uma (pequena) marca.”


São meros excertos, fora dos seus contextos originais, escritos por várias pessoas, provavelmente muitas delas nem se conhecendo virtualmente, como é o meu caso em determinadas circunstâncias. Muitos, muitos mais poderia deixar e, não cito nomes porque considero estes fragmentos como “amostras” de empatia retiradas aliatóriamente, de pessoas que, perante determinado contexto, deixam um pouco da sua personalidade. A projecção existe, de facto, quando nos revemos em determinadas palavras. No entanto e por isso mesmo, temos que assumir a presença de sentimentos. Sendo que estes provêm de seres humanos que se deixam conhecer através das suas palavras, quantas vezes simples, mas que podem ser um alimento precioso para quem as lê.
Não estamos perante outros aspectos como o olhar, a postura, a presença … a realidade de cada um pode ser camuflada. Mas mesmo sabendo que um olhar pode dizer mais que muitas palavras, as mesmas nunca seriam proferidas se não existisse emoção, seja ela de que índole for.
Esta foi uma lição que aprendi por contacto mais prolongado com alguém que nunca conheci. O que aqui deixo é a prova do quanto de bom cada um de nós pode ter para oferecer.

15 comentários:

foryou disse...

Cada um de nós, todos nós, temos algo para oferecer, sempre, por mais infimo ou camuflado que esteja.

Muito bonito este teu post.

Maria P. disse...

E muitas vezes basta uma palavra para se sentir a presença do outro, uma palavra...

Força.

carteiro disse...

A primeira coisa que pensei ao ler este post, e ainda nem ia a meio foi: "Uau! Este post está tão completo!". Isto com base nas primeiras citações. E à medida que fui lendo, tudo se intensificou ainda mais.

Este é mesmo um mundo maravilhoso. Tocou-me imenso ler que "a realidade de cada um pode ser camuflada". Pois claro que pode. E o mais virtual no meio disto tudo é dizer que isto é virtual!! No meio de todas as tecnologias e banalizações provenientes daí, e do romantismo que se vai perdendo, há muitos posts e muitos comentários que (quase...) valem por cartas.

E no fim de tudo, o que interessa são as coisas boas que sentimos que demos e que sentimos que alguém nos deu. E os blogs, no geral, e esta casa, em particular, com a sua espécie de magia, são uma bela fonte desses momentos.

Maria Clarinda disse...

Nas palavras por vezes, e , principalmente nas entrelinhas está o nosso sentir, e, quando alguém as consegue descodificar...aconteçe o momento de magia.
Jhs

_+*A.Elite in Paris*+_ disse...

Ha sentimentos que nascem assim... com pessoas que nunca teriamos conhecido de outra maneira...

Beijo meu,

A Elite

Maria P. disse...

Tens um desafio/convite na Casa, "Batata Quente" (?!) não sei porquê este nome.

Beijinho*

Cadinho RoCo disse...

Só quero chamar atenção, neste tema, para enorme força existente nos blogs. É através dos blogs que surgem os contatos mais inesperados, as surpresas mais agradáveis, o sentimento vivo da solidariedade desprendida e em seu estado mais natural. É por intermédio dos blogs, inclusive, que temos como filtrar nossas relações.
Eu estava sumido porque meu monitor simplesmente apagou. Agora, volto ao saciar da saudade.
Cadinho RoCo

zetrolha disse...

Acredita que se tivesse aqui os meus óculos D&G eu até lia o teu texto...não te esqueças de me ligar,estou sem saldo no meu Nokia N95

TINTA PERMANENTE disse...

As palavras, quase sempre, são como pequenos pregos onde penduramos as nossas ideias. As ideias, essas, carregam o poder do espírito de quem as cria.
Um barrete vermelho sobre um velho dicionário faz soprar um vento revolucionário, dizia Vitor Hugo...
Aqui,na esteira de cada letra, todos deixamos o odor do espírito.
Abraço!

TINTA PERMANENTE disse...

Esqueci-me:
e que cada uma dessas palavras, seja remo, seja braço, seja proa, seja mar que chegue a porto de chegar...

D. Maria e o Coelhinho disse...

TOU TÃO CHATEADA !



D. MARIA

bettips disse...

Olha, quem falou bem foi aquele cota amigo que usa uma caneta de tinta permanente...
Pois, de repente há um laço, dois laços e uma festa de nos encontrarmos com gente que nos percebe, nos mima, nos lê e gosta. E se estamos tristes, vem uma mãozinha, um flor, um verso...Qual camuflagem: é puro, não se vende, não se vê, não se compra: oferece-se. Um cristal de mil brilhos. Beijinho

Pedro Arunca disse...

Retalhos dum bloguista. Boa ilustração dos pedaços de cada um que passou por aqui. Passei na esperança de ler um poema seu...mas tudo o que já cá está me agrada.
Fique bem.

Isabel José António disse...

Querida Amiga Alexandra,

As palavras têm força, som, vibração e correspondem a algo real que existe. Elas dizem respeito a vibrações (uma melhores outras piores) que existem pelo cosmos, pela vida, pela Natureza, dentro e fora de cada um.

Sentir sem saber quem é a pessoa, conhecendo-a apenas por palavras, que expressam emoções, ideias, pontos de vista, é uma coisa sublime.

Fique bem querida amiga.

Bom fim de semana

José António

alexia disse...

Aqui não tenho dúvidas, nem preciso de grande reflexão para te entender:). As palavras podem não ser as mesmas mas as sensações que elas transmitem em certos momentos é o que faz eu rever-me intensamente neste teu post!
Por vezes penso que os “meus” excertos são especiais…e não contrariando a unicidade das palavras que recebi sei agora que não sou a única a senti-las de forma tão especial.

Beijo