quarta-feira, julho 12, 2006

Gaivotas em terra...


Tempestade no mar!

O som da cidade, atrás ... é substituido pelo clamor do mar a bater na rocha para se abrir em leque!

Vento forte e humido na direcção mar-terra, empurra consigo goticulas de água que se espalham no ar... o cheiro... esse aroma tão peculiar da areia molhada e do mar revolto, cerca quem neste espaço se encontra.

De face molhada e fria, com os lábios a saber a sal, olhos brilhantes comtemplam a tempestade!

A onda desfaz-se, o mar retrocede e há um hiate de tempo em que se ouve e sente, somente o ar humido... vento forte mas agradável para quem sente o pulsar do mar!

Passaram as sete ondas... e, subitamente, a rebentação faz-se sentir com toda a sua pujança. Novo ciclo se seguirá, até voltar a calma que reina antes da tempestade!




Quando

Quando olho para mim não me percebo.
Tenho tanto a mania de sentir
Que me extravio às vezes ao sair
Das próprias sensações que eu recebo.
O ar que respiro, este licor que bebo,
Pertencem ao meu modo de existir,
E eu nunca sei como hei de concluir
As sensações que a meu pesar concebo.
Nem nunca, propriamente reparei,
Se na verdade sinto o que sinto. Eu
Serei tal qual pareço em mim? Serei
Tal qual me julgo verdadeiramente?
Mesmo ante as sensações sou um pouco ateu,
Nem sei bem se sou eu quem em mim sente.
Álvaro de Campos

22 comentários:

poeta_silente disse...

Amiga, minha!
Que lindo! O mar... a tempestade. Sabes? Sempre as tempestades passam e eu passo com elas... e me preencho da luminosidade do sol. Porque, no bater das ondas, as impurezas vão se extinguindo... só vai ficando o que é puro. Só vai sobrevivendo o que é verdadeiro e real.
Embora possamos pensar que não nos conhecemos, a nossa força interior, que vem da força Superior, nos impulsiona para a vitória sobre os sofrimentos.
Ale. Porque as pessoas não acreditam na pureza de sentimentos e de pessoas? Porque sempre vêem uma tempestade por trás das ondas que vem, mansas, a beijar, suavemente a pele do outro? Porque este beijo tem que ter o perigo do repuxo do mar?
Amiga. Sou a onda que vem, pura, para agraciar e roçar as pessoas com as quais convivo. Não me permito ser tempestade na vida de ninguém. Mas, por obra que não é das mãos de Deus, exitem ventos que tentam jogar areia onde só existe espumas límpidas. Isto não me abala. Sou como sou. A intensidade de um mar azul, com espumas brancas a acarinhar os pés de quem confia em mim e acredita na pureza das minhas águas.
Beijos, Ale. Deus te abençoe.
Estou viajando pela madrugada.
Até a volta.
Miriam

isabelnurse disse...

Bom dia, Alexandra
Lindo...
Cá vai em resposta à sua tempestade,

Preia-mar

As ondas quebram na areia,
dizem segredos perdidos...
Saudades da maré-cheia,
de barcos e tempos idos...

Segredos tristes, lamentos,
que o mar não pode calar...
E foi dizê-los aos ventos,
aos pescadores, ao luar...

As ondas dizem na areia
saudades de tempos idos...
Segredos da maré-cheia,
de barcos tristes
-perdidos.

(Daniel Filipe,Missiva)
(Poeta Cabo Verdiano)
Beijinhos,
Isabel

P.S.Vou ligeira, entro às 8, da minha Oeiras até ao Egas, sempre juntinho ao mar.

Isa&Luis disse...

Álvaro de Campos também não tinha a percepção correcta e exacta de si mesmo. Alguem a terá?
Um beijo
Luis

Isa&Luis disse...

One Fly Over a Cuco's Nest, Shining e Dead Poets Society também são dos meus filmes preferidos.
Como também gostas de boa literatura, tomo a liberdade de te sugerir que leias Em Busca do Tempo Perdido de Marcel Proust. Para não falar em Guerra e Paz de Tolstoi e outros clássicos.
um beijo
Luis

RPM disse...

Olá amiga Alexandra!!!

Tempestade no Mar e as Gaivotas em Terra. Pura verdade....

um beijo grande de Oz

RPM

Alexandra disse...

Boa tarde Isabel,

ontem ainda tentei responder-lha mas esta coisa modernaça ficou em manutenção... naquele dia Isabel, as lágrimas corriam-me pala cara de tanto rir. Aquilo é que foi uma caida tripla no blog do João, coitado!! :))))

Sabe Isabel, a minha mãe também tentou ensinar-me todas essas coisas que eu acho lindas, mas que não as consigo elaborar. Acho que sofri mm uma mutação genética :)))) quem ficou com os genes todos foi a minha irmã! ;) Essa sim, uma modernaça, mas verdadeira fada do lar.

Quanto ao resto que falou, acho que tem toda a razão... estes malandrinhos têm muito que se lhe diga... mas agora, o nosso esconderijo foi descoberto, logo... "eles andem por aí" :))))

Pode escrever para o mail que aqui está se quiser.

Beijos grandes,

VOLTE SEMPRE!!!

Alexandra disse...

AH ISABEL,

´mais uma coisa... as picardias com os malandrecos... é mesmo por aqui ;) eu já informei da nossa transparência nos comentários :)))))))))

Já tou a rir de novo :)))

Beijinhos!!!!!!

DE PROPOSITO disse...

Andei por aqui. É bom ler as palavras que nos deixas. São palavras onde se encontram résteas de ternura.
Fica bem.
Beijos.
Manuel

Martha disse...

quando vemos gaivotas em terra é sinal que o mar anda agitado ou que algo esta para acontecer...penso que elas sentem que o mal esta se aproximando cada vez mais.deixo um beijinho com carinho*

Besnico di Roma disse...

Gostei do teu texto, senti como me sinto quando estou só, à beira mar, envolto pela neblina

Luisa disse...

Gostei muito dessa descrição duma tempestade no mar. É tão bela! Não tenho podido ir ver o mar e sinto tanta falta dele!

Isa&Luis disse...

Tentei enviar-te um e-mail sobre o último comentário que deixaste no virtual, mas parece que veio devolvido. Gostaria que confirmasses e, caso não o recebesses me disseses se algo está errado com o teu endereço.
Podes escrever para o meu.
Obrigado!
Um beijo
Luis

RPM disse...

bom dia amiga Alexandra

vou ao mar ver se a temperatura está nos 25 graus de água....

beijo amigo

RPM

Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba disse...

Querida Alexandra!!!

Que bom é te receber!!!
Teuespaço está como sempre, lindo e gosto de teu modo de pensar.

Tenho andado atarefada e sem muito tempo para visitar e postar. Mas vou passando... Olhando,Sentindo...

Por vezes escrevo, por outras, me dou ao direito de assistir de longe, o jogo das muitas letras, formando palavras e desenhando cenas, como se a vida fosse mesmo um grande palco iluminado e os sentimentos, pudessem ser manipulados...

Beijinhos pra ti Alexandra!!!
Tenha um lindo dia!!!

Cris

tibeu disse...

Passei para te desejar um optimo fim se semana que se aproxima.
bj da tibeu

the postman disse...

Quando estou numa praia... todos os sons (naturais) que se ouvem em frente são soberbos.
Faz hoje uma semana que estive, pela primeira vez, sozinho numa praia, em noite cerrada. Foi espectacular. Quando saí de lá foi por causa do frio que o vento me estava a provocar.
Ai as ondas...
**

Paulo disse...

Como sabe bem esse vento forte e húmido, que nos refresca e revitaliza, as ondas rebentando na falésia e nós na praia, na escuridão, sentindo essa agitação e olhando as estrelas lá longe no céu. Como foram e são bons esses dias, essas noites, junto ao mar, na praia ou na esplanada, rindo e conversando, sem nada mais para fazer que rir, conversar, comer e beber... Beijocas do "bom malandro" :))))

Pluma(princesavirtual) disse...

Bom eu o mar ainda vá lá...mas sem gaivotas :D eheh Um post delicioso.

Agora tenho duas perguntas:

1º para quando uma musica mais animadita neste blog (desculpa acho que estou a ser exigente) que tal o nosso fredy??? :D

2º estou curisosa...que blog é esse tão divertido que já vi por aqui mencionado tantas vezes??? :D (ou será que já li este post muitas vezes??? whatever... ;) )

Beijos ( e desculpe esta princesa exigente e curiosa...)

MoonLight disse...

Ai! Devia ter ido ter com o mar... Ele chama-me e eu ando a fugir de lá ir! mas tem de ser! Lindo post! Bjs de Luz

Anónimo disse...

Best regards from NY! Patents versus secrecy at the firm level N 4 phendimetrazine

Anónimo disse...

Very nice site! » » »

Anónimo disse...

Enjoyed a lot! » »