quarta-feira, setembro 26, 2007

Message in a bottle


O tempo passa e, eles já não estão assim. Ahhhh pois não!!!
Ontem, muita gente foi à procura das mensagens deixadas em garrafas escondidas nos meandros da memória. O que encontraram não sei, mas alguma coisa ainda restou. Que o digam as notícias de hoje.
Não porque seja uma das bandas preferidas, mas porque optei por ver os que me fizeram alguma companhia nos meus tempos de adolescente, quando dei por mim estava a observar o que me rodeava, ou seja, os que me rodeavam. Dos trinta e muitos, aos cinquentas e pouco, estavam em peso. Olhando para aqueles rostos mesmo no meio da penumbra e aos "solavancos" à conta das luzes, dei por mim a pensar que em termos fisionómicos aquelas pessoas eram o meu espelho. Cada um com as suas vivências, mas tendo ouvido as mesmas melodias em idêntico espaço de tempo, muito havia em comum.
Ao olhar os membros da banda, não acredito que em cada uma daquelas cabeçinhas pensantes não tivesse divagado o "som" daquelas palavras que algumas vezes nos damos ao trabalho de pensar... "Já passou assim tanto tempo?!"
E como a música, seja ela qual fôr, é um veículo de emoções, quem estivesse atento poderia supôr que se as imagens mentais se pudessem ver, de certeza absoluta seria impossível ver o palco. Bem, essas não se veem mas são transpostas pelos mais variados comportamentos. Olhos que brilham, corpos que saltam, sorrisos abertos, vozes que gritam ao som das letras há muito conhecidas...
Uns escassos minutos em que se esqueceram factos, identidades, tristezas, etc, etc, etc.
Um pedaço de tempo em que o passado regressou!
PS: E por notícias de hoje, voltei a ler "à boa maneira portuguesa..." (o resto podem ler no link que deixei). Será à boa maneira portuguesa só dos que foram ver o espectáculo? É que, os adolescentes dos anos 80, hoje, em princípio, têm criançinhas que não podem ficar sós, trabalhos que não podem ser deixados pela simples razão que "vem cá aquela banda dos nossos anos de adolescente" (convém não esquecer que estamos a meio da semana). Há que deixar as ditas em casa sei lá de quem, há que cumprir os horários de trabalho... mas também há que garantir por parte da organização e, segundo as perspectivas que tinham, condições para que os "retardatários" tivessem condições mínimas para que pudessem usufruir daquilo por que pagaram.

10 comentários:

PostScriptum disse...

Sortuda. Foste vê-los. Infelizmente para mim não deu mesmo. Moro longe, hoje era dia de trabalho. Tenho pena, mas sim, tens razão: são partilhas únicas que nos fazem olhar no espelho.
Sabes o que gostei aquando dos concertos dos Pink? - Ver várias gerações juntas.
Beijos

Entre linhas... disse...

São essas memórias que ficam registadas para sempre,também adorva ter visto ams moro muito longe.
bjs Zita

Anónimo disse...

Ah "Policia", ou polizein!
Bem não interessa, sting...! Grande banda, dos meus preferidos, tirando o frio e a estafa, mereceu a pena ver né? bjs
já reparaste que são as bandas antigas que dão cartas nos concertos?
gajo do mano

Å®t Øf £övë disse...

Alexandra,
Eu seria capaz de dizer que os Police são ainda uma grande banda da actualidade, muito mais que momentos de recordação. Deve-se estar consciente que estamos perante uma grande banda da actualidade, porque têm boa música, boa presença em palco, e carisma, ao contrário das bandas da actualidade a quem muitas vezes basta um hit para atingirem o auge do sucesso, e que por isso mesmo aparecem e desaparecem de forma meteórica, e que daqui a 20 anos ninguém se lembrará que alguma vez existiram.
As grandes bandas continuam a ser aqueles que precisaram de criar uma carreira quase no anominato, e que só ao fim de alguns anos conseguem aparecer "à tona de àgua". Essas sim, demonstraram merecer sucesso, e essas são as bandas de há muitos anos como são o caso dos Police. São bandas com conteudo, e história.
Beijinhos.

Gui disse...

Pois é minha amiga, porque será que andamos sempre à procura do passado, à espera que ele regresse, tal como D. Sebastião. Não regressa, mas não faz mal nenhum recordar.

Pepe Luigi disse...

Há sempre o melhor das memórias que nos fica registado!

redonda disse...

Gostava de ter ido também...:)

Ki disse...

Eu estive lá, conclui q me faltam dez anos at least para gostar verdadeiramente deles. Mas fiquei estupefacta a ver o baterista, n me importava nada de o ter ouvido a solo, genial!!

perante a genialidade do baterista a impassividade do outro Mr. e um Sting bem disposto e simpático, mas uma banda que tem rpestígio mas n faz tcharan :)

Mocho Falante disse...

Não fui ver com muita pena minha, e estavam tão perto aqui de casa...

Já percebi que te divertiste...ainda bem

beijocas e bom fim de semana

Maria P. disse...

Que sorte!:)
Que recordações...

Beijinho e bom fim-de-semana Amiga*