terça-feira, setembro 04, 2007

Reencontro


Com uma educação que lhe havia proporcionado a aprendizagem de um instrumento musical, nomeadamente o piano, os caminhos da vida levaram a que houvesse um afastamento progressivo desse trilho. A musica clássica que outrora fizera parte das suas preferências tinha tomado uma posição bastante longínqua. Sentia a sua ausência mas não era questão que a preocupasse de momento.
Numa das suas tardes livres, deambulava por uma loja quando de repente aos seus ouvidos chegou um som há muito ausente da sua vida. Seguindo a audição foi encontrar alguém concentrado no teclado do piano que tocava. Percebeu que naquele momento e, para aquela pessoa, nada mais existia senão ele próprio, o instrumento e a melodia que lhe saía das mãos. Procurando não fazer qualquer barulho, aproximou-se e ficou parada ouvindo, vendo e sentindo aquela sensação agradável que há tanto tempo a deixara. Sem se aperceber, também ela fazia parte daquele grande espaço onde se fazia sentir uma cumplicidade entre dois estranhos. Ambos estavam fora deles mesmos, cada um sentia aquele momento à sua maneira em função das suas vivências interiores.
Foi nesse momento breve e a ouvir aquelas notas que se deu conta que o tempo se tinha encarregado do afastamento, mas o sentimento que a ligava áquele instrumento, áquele som e aos movimentos quase mecânicos das mãos percorrendo um teclado, permanecia igual!


Foto: Alexandra

9 comentários:

Maria P. disse...

Também eu sei quem gosta deste "Reencontro", para além de mim.
Comovente.

Beijinho Amiga.

Delfim Peixoto disse...

Piano... pois...

redonda disse...

Bonito!
Um destes dias talvez volte a tocar (mal :) ) piano...

Manuelinho disse...

´Tens mm um reino de magia...

Mocho Falante disse...

linnndo Alexandre, e piano pois claro o meu favorito

beijocas

Anónimo disse...

Lindo,
beijo
isabel

"Sem a música, a vida seria um erro."
Friedrich Nietzsche

Bichodeconta disse...

Pois, e eu com um piano aqui em casa ás moscas .. A minha filhota que fez o terceiro ano do conservatório, por motivos vários abandonou uma coisas de que ela gostava imenso.. Enfim.. Um abraço, a foto está linda..

poeta_silente disse...

Alexandra.
Este post tocou-me profundamente. Embora eu, hoje, tenha em casa meu piano, ainda não consegui deixar de me entristecer pela ruptura do estudo. E isto aconteceu quando eu tinha apenas 5/6 anos de idade. É uma história triste. E longa. Mas, me obrigaram a deixar de estudar. Embora muitas lágrimas, muitos choros...
Meu pai, sentido com tudo o que ocorria, mas sem poder interferir, me ensinou a tocar violão.
Hoje eu sei que em TUDO tem a mão de Deus. E ELE permitiu para que eu pudesse aprender a tocar violão. Pois eu trabalho para ELE exatamente tocando este intrumento e cantando.
Mas... a dor ainda é profunda... Amo piano. Sinto uma agulhada em minha alma cada vez que eu me deslumbro com um pianista a tirar, das teclas, a melodia que escancara seu coração e consola suas tristezas. O piano... é o instrumento mais lindo, completo e perfeito que conheço.
Deus te abençoe.
Beijos
Miriam

carteiro disse...

Estas palavras são profundas, são tão tocantes que nem me atrevo a tentar descobrir algumas minhas que sejam coerentes perante as tuas.
E onde está essa posição agora? Menos longínqua? Profundamente nostálgica... Para além de qualquer tempo ou espaço, há a Música em ti. É isso o mais importante, penso.